domingo, 12 de novembro de 2017

Encantos de uma rosa vermelha

Você tem os encantos de uma rosa vermelha.
Sua pele é como as pétalas suaves e o seu toque me incendeia.
Você tem a simplicidade das flores.
Quem me dera ser um dos teus amores.

Nos teus encantos eu me aprisiono,
Abobado, iludido.
Engendrando um sorriso.
                                 
Tua beleza de sereia,
Como rosa vermelha,
Queima a minha alma,
De desejo, de anseios.

Nos teus encantos eu me encontro,
Perdido de mim mesmo.
No silêncio dos olhares tímidos.

Você tem os encantos da rosa vermelha.
Vi na beleza dela a tua escondida.
Na tua canção silenciosa de sereia.
Que me guiava e me seduzia.

Uma rosa tão bela.
Plantada no jardim, solitária.
Parecia triste quando eu olhava.

Uma rosa brilhante,
De brilho escarlate e fulgor incessante.
Uma rosa tão bonita,
Singela,
Delicada,
Merecia o meu sorriso,
Carícias da minha alma.

Uma rosa encantada,
Vermelha, brilhante,
Perfumada, reluzente.

Você tem os encantos da rosa vermelha,
Eu teria lhe dito isso sem você perceber,
Falei no silêncio dos olhos,
Na ansiedade de te plantar no meu coração.

Brener Alexandre 12/11/2017.




segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Sorriso ao avesso

Sorrio ao avesso,
Com medo.
Sorrio escondido,
Do frio.
Dos teus olhos sérios e secos.
Do teu semblante,
Muralha instransponível
Da tua indiferença
Fronteira de incertezas.

Sorrio ao avesso,
Sorriso triste.
Sorriso ocultado,
Espantado.
Malogrado pelo desencontro
Dos olhos que se recusam,
Pelo inverno interminável.
Provocado pelo silêncio.

Sorrio ao avesso,
Não é descontentamento.
Um sorriso triste,
Em tom de lamento.
Pelo inverno rigoroso.
No fundo dos teus olhos.
Pela alegria frustrada,
Pela falta de empatia.
Pelo medo de manifestar
Com coragem e alegria,
A saudade que ainda tenho
Da tua companhia.

Brener Alexandre 30/10/2017





segunda-feira, 31 de julho de 2017

Eu queria

Eu queria um abraço,
apertado e sincero.
oferecido com esmero.

Eu queria um beijo.
molhado,
casto,
de amor verdadeiro.

Eu queria um abraço,
meus braços entrelaçados.
Eu queria um beijo,
dois lábios encostados.

Eu queria não querer,
ter você,
Eu queria não te perder.
Eu queria que a saudade,
fosse um sonho,
um pesadelo.
Que a distância que machuca.
não me deixasse com medo.

E que toda falta que alguém nos faz
fosse maldade.
E que a ausência não tirasse a paz.
de verdade.

Eu queria um abraço,
um beijo,
um sonho,
um desejo.

Eu queria sorrir com franqueza.
Sem medo, pura gentileza.
Eu queria não querer,
estar com você.
Brener Alexandre 30/07/2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Minhas fraquezas

Tenho queda pelas flores,
Pela tua beleza,
Tuas pétalas e odores.

Tenho queda pelo teu sorriso,
Pelo carinho dele emanado,
Amor suavizado,
No riso caprichado.

Tenho queda pelo teu sorriso repito,
Que feito flor se abre ao risco.
De ser colhido por quem olha.
A beleza que nele aflora.

Tenho queda pelas flores.
Que feito sorriso se abre a luz do olhar.
E faz a gente se encantar.
Com a vida que brota com simplicidade
E nos ensina a olhar diferente a cidade.

Minhas fraquezas,
O teu sorriso e as flores.
A acolhida e os odores.

Minhas fraquezas,
Extirpam a frieza.
Que percorre os dias de inverno
E me livra do inferno.

Minhas fraquezas,
Flores, incertezas.
Teu sorriso,
Como a curva sinuosa de um rio.
Me deixa perdido.

Tenho queda pelas minhas fraquezas,
Por você e a tua beleza.
Flor-mulher que me encanta.
Mulher-flor que se abre,
Ao belo,
Ao divino,
Ao brilho do meu olhar atrevido.


Brener Alexandre 19/07/2017