quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Capitão América – duas leituras do além do homem nietzscheano

Nesta última terça-feira dia 09/08 fui ao cinema assistir o filme capitão América.
Na esperança de ver mais uma adaptação cinematográfica de um personagem consagrado do mundo Marvel. O filme é muito bom. Gostei da fotografia, da trilha sonora da atuação dos atores envolvidos e acima de tudo das ideologias traçadas pelos personagens principais. Capitão América é um super herói tal como o superman criado no contexto da segunda guerra mundial para servir de propaganda antinazista. Inimigo do Capitão América é ninguém menos que o caveira vermelha. Ícone do nazismo e representante de uma visão considerada por muitos deturpada do além do homem nietzscheano. Enquanto o herói americano representa uma versão sadia do além do homem. O além do homem é apresentado por Nietzsche como o homem q supera e transmuta todos os valores, que está acima do ideal ascético e busca reforçar o valor e o gosto pelo viver neste mundo. Embora o capitão América represente um além do homem a serviço do ideal ascético, porque luta por uma causa na qual ele sacrifica a vida em nome de ideais nobres. Ele tenta limpar a imagem negativa do uso que foi feito das obras de Nietzsche para reforçar os valores do arianismo nazista. Não poderia me esquecer da auto critica apresentadano filme quando o Capitão América se vê como um veiculo midiático para divulgar divulgar os ideias patrioticos em um tempo de guerra. E claro é sempre bom lembrar que a economia americana sobrevive e sempre sobreviverá com a ajuda de guerras e pequenas intervenções militares.
Nietzsche não é o meu autor favorito. Inclusive porque não penso que o além do homem pudesse ser representado por figuras como Capitão América ou super man (o parelo com o superman é bem interessante quando acompanhamos no seriado smallville os conflitos de Clark Kent com Lex Luthor e Lionel Luthor que sempre fazia menções a Nietzsche e a Richard Wagner que se tornou um símbolo do arianismo graças ao próprio Nietzsche). Capitão América mostra q superar o que é humano deveria ser apenas mais uma etapa do “humano demasiado humano” em nossas vidas, capaz de elevar o que temos de melhor para viver melhor e em paz.

Um comentário:

Cristian Tavares disse...

oi cara amei o seu comentário vou usa-lo no meu seminário de direito sobre trans humanismo. meu nome é jucelia estou usando a conta do meu sobrinho obrigada pela ajuda kkk
vou deixar meu pois vou gravar minha apresentação caso vc quera ver o seu comentario sendo o meu responda no meu email. um abraço
juceliatavaresjj@gmail.com