segunda-feira, 25 de julho de 2016

Vulnerável

Despido e desarmado me torno vulnerável.
Tomado de um sentimento honorável.
De peito aberto e guarda baixa.
Somente a simplicidade me acompanha.

Desprotegido de todos os lados.
Desejando amigos ou estando enamorado.
Abro-me para mil e uma possibilidades.
Investimento de alto risco
Não é ato de insanidade?

Me fiz fraco para amar-te
Me fiz simples para que me compreendesse
Me fiz vulnerável para que entrasses em mim.

Na fraqueza foi ferido,
Pelo amor convalido,
Pelo medo achincalhado,
Pelo orgulho destruído.

Vulnerável fui atacado,
E o meu amor foi combatido,
Minha amizade ignorada,
Nas chamas da covardia foi lançada.

Vulnerável,
Desprotegido,
Desarmado
Desguarnecido.

Vulnerável,
De peito aberto,
Coração exposto,
Perigo iminente,
Risco incalculado.

Vulnerável tombei,
Meu ponto fraco era você,
Sem armaduras, proteção
De peito aberto expus meu coração.

Vulnerável eu cai,
Agredido
Pela covardia dos homens,
Pelo orgulho e pela arrogância,
Que nos separa uns dos outros.
Que traz a agonia que nos suplanta.


Brener Alexandre 25/07/2016

Nenhum comentário: