domingo, 11 de junho de 2017

Persuasão II

Quantos versos são necessários para te convencer?
Quantas lágrimas mudas preciso te oferecer?
De silêncio em silêncio sou engolido.
De lembrança em lembrança sou consumido.
Pela impotência de não poder ficar com você.
Pelas razões que conseguem te convencer.

Quisera eu convencer teu coração.
Com palavras, atos e virtudes, sem ilusão.
Quisera eu te oferecer um caminho.
Com amizade, cumplicidade e carinho.

Nenhum verso te encantou
Nenhuma lágrima te tocou.
Meu silêncio nos emudeceu,
E nas minhas memórias me exilou.

Quão fraco sou em te perder.
Que adianta ter razão e não te convencer?
Sem palavras e sem virtudes.
Sem teu sorriso, sem teu abraço,
Perdido e cansado.


Brener Alexandre - Poema manuscrito em 29/03/2017 e publicado em 11/06/2017

Nenhum comentário: