quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Dúvida

Enquanto não há certeza é ansiedade do não agora que não se revela.
É tempo que se vai feito poeira;
É brilho que cega é escuridão que revela a mentira travestida de verdade.

Dúvida é falta de coragem, é correr de medo, é fugir do óbvio.
É o principio motor da certeza;
e a negação da mesma é o principio de não contradição gritando na minha cabeça.
É interrogatório no silêncio da alma;
é o meu desejo de suspender o juízo sobre a vida e repousar no silencio do não dito...
Do indizível...

Um comentário:

Tuany. disse...

Dúvida...

Tem-se a lógica, porque se entregar às duvidas? É fácil dizer... difícil é controlar a razão e os sentimentos, mas não impossível.

“Dúvida é falta de coragem, é correr de medo, é fugir do óbvio...
é o principio motor da certeza.” – adorei...

te amo.

Bjs.