sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Inominável

Hoje eu compreendo porque você achava estranho andar de mãos dadas comigo
hoje eu entendo porque o sorriso bastava apenas para um de nós.

Não passei nem passarei noites em claro por você
Não vou chorar sua perda porque vc também me perdeu

perdeu-se as flores as folhas e a árvore secou outra vez
o inverno mais rigoroso dos últimos tempos...
Congelou o meu ser, congelou minhas lágrimas e as secou no vapor do gelo seco de uma alma seca como a minha...

meu sorriso esconde solidão, meu olhar não olha porque se perdeu na porta aberta que deixei para trás

e o sofrimento é uma verdade incontestável

não tenho nome, não tenho ser
sou vazio de sentido por que não há sentido sem você

o relógio voltou a girar para mim
as areias da ampuleta de Chronos voltaram a cair
e a vida continua inominável sendo vida sem nome não pode ser expressa.

Nenhum comentário: