terça-feira, 6 de outubro de 2009

Estátua de carne

Cada curva esculpida no marmóre quente, tua pele clara e cor de bronze
colocada no pedestal para ser adorada pelos olhos desejosos
exposta a cobiça e ao prazer de quem vê a beleza tirada de suas formas perfeitas

feita para conduzir os olhos ao orgasmo
para diluir o desejo na alegria
para ser brisa no dia quente
e chuva de verão, cai depressa e nem percebemos quando vai embora


teu olhar tímido esconde tua libido sedenta
tua vergonha hipócrita é disfarce infantil
e teu olhar indiferente é charme não repulsa
és estátua se move parada
sua fuga é na verdade desejo de ser capturada pelos olhos atentos do desejo.

Um comentário:

Jah disse...

Profundo isso!