sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

medos e incertezas do guerreiro

As vezes o significado da palavra lutar é tão ambiguo, tão incerto...
as vezes me pergunto se a guerra não foi perdida, se a batalha não foi em vão...
me pergunto se o meu destino vai continuar zombar de mim!
se o seu sorriso irônico vai me perserguir e me lembrar que sempre tenho que combater os meus demônios internos.
Meus medos estão sempre diante de mim acariciam meu rosto antes de cada batalha, cada faísca que sai da minha espada.
Medos que escorrem como o meu suor, dúvidas que sempre hão de permanecer... dúvidas que se firmam como certezas.
lutar é a incerteza de cada dia.
viver é a busca de um sonho.
Meu medo maior é é perceber que um novo tempo pode nunca chegar
que as mudanças nunca ocorreram
que o destino está apenas pregando mais uma peça em mim...
apenas zombando da minha boa vontade, do meu esforço e no fim apenas me lembrar que a minha existência é uma ilusão... um desejo rompido...
o guerreiro que combate sem amanhã está fadado a ser a chama que fumega enquanto a palha seca se dispor como lenha.
O guerreiro sempre tem medo e procura enfrentá-lo, mas as vezes o medo vence e a incerteza se torna apenas desejo de morrer depressa.

Nenhum comentário: