terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

fidelitatis

digo não as correntes, digo não ao senhores, as senhoras.
digo sim a lealdade, a liberdade e a reciprocidade.
um poeta mais sábio do que eu disse em seu poema e eu repito:
"irei rir o meu riso ou derramar o meu pranto, ao seu pesar ou ao seu contentamento."
eu estarei para você ainda que você não me chame, estarei para você porque sou teu amigo. e quando você pensar que te abandonei, na verdade eu estava o tempo todo in fidelis a ti, honrando o seu caráter, prestando culto ao teu amor.

Minha chama resiste aos ventos mais fortes, e o meu beijo suave como a brisa toca teus lábios de longe.
minhas mãos sempre estendidas vão te segurar e não te prender.
fidelitatis, in fidelitatis corda meum tradetur.

Nenhum comentário: