domingo, 3 de fevereiro de 2013

Amor amizade II



Ah, como eu queria que as mãos dadas prevalecessem sobre a nudez de nossos corpos!
Que o desejo fosse a simples força motriz e não o fim último da afetividade que nos une.
Que a palavra amor fosse sinônimo de cumplicidade, respeito e união e que as mãos dadas traduzissem o que sinto por você.
Não é que a nudez dos nossos corpos seja um mal, apenas gostaria que não fosse só isso.
A nudez é por vezes o símbolo da entrega pura entre duas almas que se desejam unidas, mas também é o sinal sórdido da expressão fisiológica do desejo.
Entre aromas e sensações que a nossa mente procura incansavelmente para se satisfazer fantasiando entre imagens impressas em nosso DNA.
Ah, a fantasia! A materialização da vontade, autônoma, corajosa e por vezes pragmática!
As mãos dadas não são só carinho, só união fraterna, as mãos dadas é o encontro de dois mundos contraditórios que buscam coexistência e coerência, extrapola a lógica da razão e pintada com a beleza mítica da narrativa extraordinária suplanta a mais superficial das emoções em troca do mais profundo laço de respeito e cuidado para com o outro.
Não, não é que eu não saiba que o limite entre o sagrado e o profano é tênue, uma linha imaginária que só enxergamos quando nos convém.
A verdade é que o sagrado e o profano no amor são dois lados da mesma moeda, o profano está contido no sagrado. Por isso não acredito que um seja melhor que outro, os dois são um só e mesma coisa!
De mãos dadas eu não te vejo como objeto que vai me realizar, mas te vejo como alguém que quer ser realizada junto comigo, somos partes do macrocosmo sendo um microcosmo sempre a beira da primeira explosão que vai dar o pontapé inicial para uma série interminável de aspirações e fantasias, interminável entre aspas, porque somos finitos e isso nos diferencia e muito do desconhecido do cosmos, ou talvez sejamos infinitos na finitude, porque o “eu” também é desconhecido, o eu é a grande matéria escura dos nossos desejos!
Que as mãos dadas sejam como dois elos fortes do nosso amor, que o meu toque suave das minhas mãos seja a transparência dos meus sentimentos por você para que a minha nudez seja como o rio de água cristalina e te permita ver o máximo que o meu “eu” possa te revelar.

Nenhum comentário: