segunda-feira, 15 de julho de 2013

Duas Parabolas

O Rádio fora de frequência

Uma alma perturbada, isto é, sem tranquilidade, confusa é semelhante a um aparelho de rádio fora de frequência.
Ora, o seu oposto, ou seja, uma alma tranquila é como um rádio bem ajustado. Mas imagine uma situação em que tentamos ajustar o rádio para que o som fique limpo e ao tentar ajustar a frequência o desajustamos, o rádio não é um rádio digital, mas um modelo mais antigo que exige paciência para ser ajustado.
Ao tentar ajustar a frequência para obter o som limpo qualquer movimento mínimo pode fazer com que percamos a estação sintonizada e no mais das vezes não é fácil resintonizar a estação perdida.
A alma, com efeito, é semelhante a um rádio analógico, o qual muitas vezes perde a sintonia, ou quando tentamos ajustar sua sintonia para melhorar a qualidade da frequência acaba por sair da estação sintonizada. E como é difícil recobrar a harmonia, perder os ruídos e tornar a ouvir um som inteligível.

O animal maltratado


Qual é a reação natural de um animal vítima de maus tratos?
Tal animal seria capaz de confiar em qualquer um que se aproxime dele?
Não terá medo de ser maltratado? De que possam atentar contra sua existência?
Não fugirá da dor de reviver os maus tratos de outrora?
O animal maltratado é movido pela natureza a se proteger de qualquer um que se aproxime. Ele fica encolhido para criar um ambiente seguro para si. O animal maltratado se esconde para não ser encontrado, não quer ser visto porque tem medo, não há segurança em qualquer lugar, e os riscos de confiar sua integridade a quem se aproxima é demasiado alto para ser feito.

Quem quer ter a confiança do animal maltratado deve ir devagar. Não pode parecer uma ameaça. Precisa ser paciente saber que suas investidas nem sempre trarão resultado imediato até que por fim pode se colher os frutos. Se houver perseverança e paciência e verdadeiro interesse em fazer o bem.

Nenhum comentário: