segunda-feira, 14 de abril de 2014

Asa Quebrada

Pobre pássaro que teve a asa quebrada pelo destino
Que já não canta, que já não come
Pássaro de asa quebrada de alma triste
Pobre pássaro massacrado pelas tempestades de outono
Caiu como folha seca o nosso passarinho...
Caiu e já não consegue mais voar.

Pobre pássaro outrora preferiria gaiola adornada de liberdade à prisão da ferida incurável.
Se o amor é liberdade, o desamor é prisão
Se o amor é liberdade, livre do seu amor é prisão da solidão.

De asa quebrada vaga o passarinho sem saber o que fazer
De asa quebrada perambula errante à espera de morrer
Morrer de fome, de sede, morrer de saudade de você.

Essa linha tênue entre o amor e o desamor é que feriu o passarinho

Ferido de tristeza, de fome do seu carinho.

Nenhum comentário: