sexta-feira, 6 de junho de 2014

Simulacro

Essa alegria disfarça a minha tristeza.
Como o brilho da lua engana meus olhos.
A lua brilha e sua luz não vem dela mesma.
Como a alegria que esconde a minha tristeza.

Sua voz disfarça o seu descaso
Como um simulacro da preocupação.
Seus olhos maldosos brilham.
Mas não jogo o seu jogo para a sua decepção.

Não sei viver de simulacro
de casulo ou de casco.
Sei viver de peito aberto
Manifesto.

Não sei ser carcaça
Que se troca quando sai de moda.
Não sei ser carapaça para me esconder na toca.

Enquanto você é simulacro
Brilha com a luz que não é tua como se fosse
Enquanto você é dissimulado
Diz ter o que não é seu como se tivesse.

Antes a tristeza que a alegria fingida.
Antes a dor que o engano dessa ilusão.
Se é preciso imaginar Sísifo Feliz...

Só me resta abraçar a escuridão.

Nenhum comentário: