segunda-feira, 3 de julho de 2017

Janela aberta

Deixei a janela aberta.
Quero que saiba que eu estou em casa.
Porque a saudade que tenho de ti aperta.
E tuas pegadas somem como fumaça.

Deixei a janela aberta e a luz acesa.
Porque tenho medo da solidão.
Porque às vezes o silêncio queima.
E tua ausência é parte da minha escuridão.

Deixo a janela aberta e não apenas uma fresta.
Está escancarada, e não entreaberta.
Porque a janela anuncia a minha espera.
Te convida e não segreda.

A Janela está aberta.
É canal de comunicação.
Mesmo em silêncio.
É a linguagem do coração.

A janela te conta em segredo.
Sussurra no ouvido dos teus olhos,
Os meus medos meus anseios,
Minhas alegrias minhas tristezas.
Te fala no silêncio tagarela.
Do que acredito e a minha alma professa.


Brener Alexandre 03/07/2017

Nenhum comentário: