quinta-feira, 6 de julho de 2017

Aeternum


A roda do tempo parou para mim.
Vivo o tempo sem começo nem fim.
Estagnado,
tudo está parado.
Naquele dia da semana.
Naquela noite derradeira.
Como um sonho que dura a noite inteira.
A roda do tempo não quer mais girar.
Enquanto você não falar.
Enquanto você não me amar.
Enquanto você não me odiar.
A roda do tempo parou pra mim.
Naquele dia infeliz.
De lágrimas nos olhos e coração partido.
De espera silenciosa sem dar sorriso.
A roda do tempo estagnou.
E estragou,
A vida e fez a minha sina.
De viver o passado no presente,
Sem futuro a minha frente.
De viver morto a vida.
E incapaz de achar a saída.
Do labirinto da eternidade.
De dar um passo a frente sem saudade.
Preso no tempo para sempre.
Condenado a morte entre os viventes.
Brener Alexandre 05/07/2017

Nenhum comentário: