sexta-feira, 19 de abril de 2013

Solilóquio

Ah, como tenho desejado receber os teus cuidados! Como almejei acordar de manhã e te ver dormindo um sono tranquilo. o que sinto são apenas memórias, ou hipoteses do que nunca vai acontecer porque nasci para a solidão e dela sou feito. Nasci para a estranheza e não para o reconhecimento. Nasci para ser transparente aos teus olhos e embora os teus encham de luz os meus tornando- os capaz de iluminar a mais densa treva. Tu não sabes o que eu sinto e nem pode saber, porque sou covarde demais para aceitar que me rejeites e o teu não me é mais mortal que o mais mortal dos venenos, a tua indiferença é a pior das minhas feridas!
Não me olhes com desconfiança e não tenhas medo de mim sou apenas solidão e nada mais gravitando em torno do meu eu preso as trevas do ensimesmamento.

Nenhum comentário: