sexta-feira, 7 de junho de 2013

Silêncio III

Volta o silêncio tagarela
Volta o som surdo no vazio
Meus olhos encontraram os teus
Minha boca nada podia exprimir

Volta o silêncio tagarela
Volta o som surdo no vazio
Meus olhos te viram
E minha boca nada conseguia exprimir

Ó silêncio! Perturbador da minha paz!
Ó silêncio! Sintoma da minha dor
Minha voz não quer sair
Minhas palavras ensurdeceram diante da violência do mundo!
O ruído tímido pode ser ouvido
É o gemido calado da minha alma

O meu coração foi silenciado
Meu espirito não tem voz não pode mais falar
Minha alma está muda de dor!

Ó silencio! Me traga paz! Não sofrimento!
Seja a cura e não a doença!
Ó silencio!
Ó silêncio
Só nas palavras escritas entre reticencias e aspas me é possível gritar...
Só nas palavras não ditas é que expresso a minha dor
Silêncio, maldição dos que são chamados a ser porta-voz...
Silêncio, ensurdecimento, opressão da palavra

Silêncio... palavra nadificada.

Nenhum comentário: