quarta-feira, 4 de junho de 2014

Eclipse do sol III

Nem uma palavra, dia cinza!
Nenhuma luz, nuvens espessas!
O sol foi encoberto pelas nuvens de chuva
Minhas lágrimas de agonia...
Tuas lágrimas de tristeza...

A cada dois dias uma palavra tua dirigida ao nada.
A cada minuto sou tomado pela ansiedade que me mata.
A lua encobriu o sol com a sua sombra escura e pálida
Escuridão em plena luz do dia...
Cegueira branca esquálida...

Esse dia-noite não tem fim.
Essa noite-dia sem estrelas.
E essa lua nova...
Sem brilho,
Sem brio.

Esse dia escuro de luz opaca, ofuscada.
Essa noite clara como o breu.
O sol foi encoberto pela lua cheia
Vermelha de raiva
O sol foi encoberto pelas nuvens de lágrimas.
Ah, esse eclipse que nunca acaba!

Ah, o herói trágico por fim se apaga.

Nenhum comentário: