quinta-feira, 20 de novembro de 2014

16 anos de "O lobo solitário"



Como havia dito semana passada, hoje dia 20 de Novembro "Kozure Okami Zeus project" (Projeto O lobo solitário Z) completa 16 anos. E eu não poderia deixar a data passar em branco, porque a criação dessa história é a criação de uma vida. O contexto e as razões que me levaram a começar a escrever essa história numa tarde de novembro em 1998 nos idos dos meus 14 anos como uma jornada pessoal em busca do que eu tinha de mais valioso e enfrentando todas as adversidades além de lutar contra os meus demônios internos é sem dúvida alguma um marco na vida de qualquer um.
Uma colega de escola da época da redação desse texto, uma das poucas pessoas que leram o caderno compilado e todo feito a mão (manuscrito, com desenhos feitos, arte-finalizados e coloridos por mim mesmo). me disse "Muito obrigado por conhecer a história do Lobo solitário e assim um pouco da sua história." Apesar desse projeto não ter sido escrito para publicação e para leitores que não fossem eu mesmo. É um texto que quem leu me pede para transformá-lo em livro. O que se vier a ser feito algum dia exigirá muitas modificações e adaptações. Por hora, agradeço aqueles que conheceram esse lado da minha vida e o acolheram, são poucos, mas são pessoas a quem sou muito grato.
Como disse, O lobo solitário é um registro, um diário em que as memórias contadas relatam a luta de um jovem contra si mesmo que precisa se unir a si e enfrentar a si para dar sentido e coerência ao seu mundo interior a partir de uma resposta livre. A história por mim escrita naquela época tem poucos traços diretos herdados da filosofia, porque naquela época eu tinha pouquíssimo contato com a ciência mãe, no entanto, a mitologia e as culturas pagãs pré cristãs e o próprio cristianismo são bastante operantes e dão consistência a minha modesta ficção particular.
O texto é muito simples e ao mesmo tempo muito sofisticado, afinal foi escrito por um garoto entre os 14 e 17 anos com muitas deficiências, mas que tinha um intuito se não nobre ao menos virtuoso.
Acima a última ilustração do caderno compilado. Se fosse um quadro se chamaria: " Final da batalha"
Da esquerda para direita: Mitsurugi Ryu, Lobo Solitário (Fúria), Ódio e Trovão.

Nenhum comentário: