sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Fome de memórias

Tenho fome de memórias.
E todas as histórias,
Tal como todas as estórias.
Que alimentam tantas almas.

Tenho sede do passado.
Que escorre do marasmo.
Quase sempre deixado de lado,
Por séculos a fio.

Tenho fome de lembranças.
Com todas as suas esperanças.
Um caminho de nostalgia sem fim.

Faminto de sorrisos.
Sedento do teu riso.
Memórias saborosas.
De dias que estão por vir.

E quando a fome acaba,
O vazio me destroça,
Quando a sede vai embora,
A solidão me acompanha.


Brener Alexandre 25/12/2015

Nenhum comentário: